Inocência poema planta
Foto por Caíque Apolinário

Passos apressados e empurrões
Como se todos fossem morrer
Sem pensamentos, sem emoções
Na vida adulta percorrer, correr
Crianças, gozem de seus corações

Gritos e palavras de baixo calão
Destinados ao proletariado
Os ricos compram agrados
O pobre pode ser contrariado
Crianças, curtam o momento
Que amigos não são condicionados

Crianças, não percam tempo!
E vão logo seu tempo perder
Olhem para o céu e para as árvores
Brinquem até que venham a feder
Façam isso enquanto podem
Pois a vida lhes fará isto vender

Crianças, aproveitem para xingar
Não façam questão de agrado
Pois lhes usurparão a sinceridade
E serão por ela desempregados
Usufruam da pura verdade
Crianças não precisam mentir
A vida adulta que é de falsidade

Crianças, aproveitemos para escrever
Enquanto ainda possuímos inspiração
Enquanto ainda criticamos o errado
Enquanto pensamos antes da ação
Pois é apenas questão de tempo
Até que nos corrompam o coração